Sócrates estadunidense – clipping

RETIRADO DO SITE da revista Forum
junho 21, 2014 20:18

-x-x-x-x-

Ele vislumbra brechas na fábrica de consensos do capitalismo e aposta: movimentos como Occupy, economia solidária e rejeição ao consumismo podem abalar sistema

Entrevista a Chris Hedge, no Thruthdig | Tradução Vila Vudu | Republicado em Outras Palavras

Noam Chomsky, a quem entrevistei 5ª-feira passada em sua sala no Massachusetts Institute of Technology (MIT), influenciou intelectuais nos EUA e em todo o mundo, por número incalculável de vias. A explicação que construiu para o Império, a propaganda de massa, a hipocrisia e o servilismo dos liberais e os fracassos dos acadêmicos, além do que ensinou sobre os modos pelos quais a linguagem é usada como máscara pelo poder, para nos impedir de ver a realidade, fazem dele o mais importante intelectual nos EUA. A força de seu pensamento, combinada a uma independência feroz, aterroriza o estado-empresa – motivo pelo qual a imprensa-empresa e grande parte da academia-empresa tratam-no como pária. Chomsky é o Sócrates do nosso tempo.

Vivemos um momento sombrio e desolado na história humana. E Chomsky começa por essa realidade. Citou o falecido Ernst Mayr, importante biólogo evolucionista do século 20, que disse que provavelmente nós jamais encontraremos extraterrestres inteligentes, porque formas superiores de vida se autoextinguem em tempo relativamente curto.

Continuar lendo

Os sem-história, por Noam Chomsky

RETIRADO DO site Vi o Mundo

-x-x-x-x-x-x-x-

Por Noam Chomsky
Link Original: Truthout
Tradução: Heloisa Villela 

ANIVERSÁRIO DOS “SEM-HISTÓRIA”

Por Noam Chomsky

“George Orwell cunhou o termo “não-pessoa”, muito útil para as criaturas que têm suas existências negadas porque não toleram a doutrina do Estado. Podemos somar o termo “sem-história” para nos referir às “não-pessoas” expurgadas da história em bases semelhantes.

A falta de história das “não-pessoas” ganha destaque nos aniversários de morte. Os importantes são, normalmente, comemorados com solenidade quando é apropriado: Pearl Harbor, por exemplo. Alguns não são, e podemos aprender muito sobre nós mesmos retirando-os da lista dos “sem-história”.

Continuar lendo